VOCÊ, SUA ORAÇÃO E ATITUDE FAZEM A DIFERENÇA!

Continuando a Série de mensagem de Início de Ano. Na mensagem anterior nós refletimos sobre a pergunta “do que mais precisamos em 2018?“. Na oportunidade, eu disse que Joel, nos capítulos 1 e 2, de forma simples aborda cinco pontos em seqüência, que na verdade são as atitudes que Deus espera de todos os homens, especialmente seu povo:

  1. Reconhecimento (1:1-11)
  2. Arrependimento e Quebrantamento (1:12-20)
  3. Humildade e Retorno (2:12-17)
  4. Restauração (2:18-27)
  5. Avivamento (2:28-32)

Hoje vamos falar de assuntos relacionados, mas especialmente de restauração.

Restauração, de acordo com a palavra de Deus,  é uma conseqüência. E para que haja restauração tem que haver primeiro: reconhecimento, arrependimento, humildade e retorno.

A restauração de todas as coisas está condicionada, portanto, especificamente e primordial a atitude do Povo de Deus. Quando isso acontece, a restauração então é certa. E ela nem é tudo o que Deus pode fazer, antes é apenas uma Pontinha da Bondade de Deus; para que vejas a Graça e o Poder do Senhor! Percebam, o encargo e a responsabilidade estão conosco – o Povo de Deus!

VOCÊ É FATOR QUE FAZ A DIFERENÇA

Pense comigo: De quem é a culpa pelos males e pelas trevas que assolam a sociedade e o mundo em geral, especialmente em nosso tempo?

Sim, é verdade que temos vários “responsáveis“!  Mas, certamente incluído entre eles, e infelizmente, está, de certa forma, o Povo de Deus! Explico a seguir o porquê.

Na visão de Deus, o Papel e Chamado do seu Povo/Igreja é de Liderança espiritual, de agente Moralizador, Influenciador e Transformador do mundo. A nossa “responsabilidade” como cristãos vai além de nós, de nossa família, vai além de ficarmos apenas observando as coisas acontecerem; ela também se estende a cada indivíduo, a cada família, a cada bairro, a cada cidade, a cada estado e país que nos cercam! (do contrário, temos nos tornado igual ao mundo; vazios de princípios/valores; de Deus).

Relembremos o  que a Palavra de Deus diz sobre algumas de nossas Responsabilidades:

1) “Amar e dar nossa vida pelos irmãos” (1 Jo 3:16-18 / Gn 5:9-12). Se não estamos fazendo isso, precisamos rever o real sentido de “Amar”

2) “Por amor aos dez não destruirei a cidade…” (Gn 18:16:33). Acredito que ainda não entendemos a “falta e a diferença” que um Justo/integro pode fazer em um local/lugar.

3) “Vocês são o sal… luz…” (Mt 5:13,14). Entendo que precisamos rever o significado de “fazer a diferença”. Deus nos fez “sal e luz” para fazer alguma coisa com isso, não?

Apesar de tudo o que já falei, acho que o Povo de Deus em geral, especialmente os crentes atuais, não entenderam e não se importam muito com o seu “papel, responsabilidade e chamado”.

SUA ORAÇÃO É OUTRO FATOR QUE FAZ A DIFERENÇA

Da mesma forma que a sua presença e sua vida, a sua Oração Intercessória também faz a Diferença!

1) Abraão levou muito a sério a prática da oração intercessória (Gênesis 18)

2) Moisés intercedia diariamente pelo Povo de Israel (Êxodo 32:31-35 / 33:12-17)

3) Samuel intervia e intercedia igualmente pelo Povo (1 e 2 Samuel)

4) Jesus praticava a intercessão (João 17)

5) Paulo tinha como pratica essencial a intercessão (Todas as suas epístolas)

Se a vida desses e outros grandes homens (e mulheres) de Deus não são capazes de nos mostra a gravidade e seriedade da intercessão, vejamos um fato impactante que Deus fala pela boca do profeta Ezequiel 22, e que precisa nos chamar a atenção para nossas Responsabilidade e Dever de Interceder. Todo o capitulo fala a respeito de uma nação que estava fazendo coisas terríveis; agredindo a Deus com seus pecados; fazendo pouco caso dos bons costumes e da lei de Deus. A respeito da situação, diz-se:

E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém acheiPor isso eu derramei sobre eles a minha indignação; com o fogo do meu furor os consumi; fiz que o seu caminho recaísse sobre a sua cabeça, diz o Senhor DEUS“. Ezequiel 22:30,31

Simplesmente porque não tinha quem lutasse, clamasse e intercedesse por esse povo e nação!

CONCLUSÃO

Assim como aconteceu com Jesus (Mateus 4:12:25), posso dizer que o ministério e mesmo a vida de uma pessoa se torna realmente Relevante, quando em meio às trevas, escuridão e problemas, ela percebe que tem o poder, o dever e a responsabilidade de resgatar as pessoas e trazer transformação ao seu entorno.

Quando foi acusado muitas vezes de quebrar as leis de Deus por ter curado ou libertado, Jesus na verdade estava assumindo o seu dever e responsabilidade; ele se sentia na obrigação. Por quê? Porque Ele tinha o poder, a autoridade para fazer algo? Ele nunca foi “omisso” (Lc 13:16 / Tg 4:17 / Mt 25:27)

Conhecemos a Deus (!?), conhecemos sua Graça, Misericórdia, a sua Severidade (!?); temos em nós o Poder do Espírito Santo e a Oportunidade para conduzir as pessoas à libertação, a restauração, a cura e a salvação.

Não deveríamos fazer o mesmo que JESUS???

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Participe deixando um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s