Volta! O Pai está de braços abertos!

Por Pr Alex Oliveira

Tenho quase certeza que você já ouviu a história (ou estória para alguns) do filho pródigo. Em minha opinião é uma história verdadeira. Esta história tem-se repetido a milhões de anos; desde que há homens sobre a face da terra.

Como em toda a escritura sagrada, esta passagem bíblica (Lucas 15.11-32) tem ensinamentos verdadeiros e profundos.

Pra começar, o que me chama atenção no filho mais novo é a sua atitude intempestiva. Algo que é típico da juventude, como outras características, tais como: Senso de independência; vigor físico; entusiasmo; falta de sabedoria e discernimento, etc. Note bem que listei algumas características e qualidades; algumas boas, outras ruins. Existem outras não citadas.


Nesta comovente história estão implícitas duas situações interessantes, com as quais podemos e devemos aprender: A primeira, como lidar com os jovens (cabeças duras). A segunda, relacionada à primeira, é que a própria vida os ensinará certas lições.

O moço (Lucas 15.11-24) tinha atitude, motivação/entusiasmo, idéias; mas, esqueceu de considerar Provérbios 16.1, 2, 25. O Pai como um ancião, um sábio, não discute, mas deixa dois dos maiores professores (A vida e o Tempo) ensinarem ao filho a grande lição que desprezou.

Talvez, ao sair da casa do Pai, o filho, tivesse muitas idéias boas e pretensões idem. Mas, ao se deparar com a Ilusão do mundo (o grande teste da vida), ficou iludido e encantado, e, sem que se desse conta, esbanjou/desperdiçou/gastou toda a sua herança, todos os seus bens. O mundo é assim… Parceiro fiel nos prazeres temporários. Ele está contigo até que você perca tudo. Depois? Te joga na sarjeta, sem dó nem piedade!

O grande ensinamento de Provérbios 16 é que “há caminhos que parecem corretos (direitos), mas, no fim, nos farão encontrar com a morte”. Maior problema que estar nesses caminhos é que, na maioria das vezes, só nos damos conta tarde de mais. Ou seja, quando morremos, ou estamos à beira da morte.

Em meio a sua caminhada, o filho pródigo viu o que era ruim tornar-se pior. Diante da fome que assolou o país onde estava vivendo, começou a passar necessidade, e chegou a mendigar pão para comer. Viveu entre porcos; e, nem o que os porcos comiam ele pôde comer! Que situação degradante e humilhante!

Em algumas frases de efeito que costumo usar, digo: “Pior que passar por certas situações é não aprender com elas!”.

Passado algum tempo – e a bíblia usa uma expressão interessantíssima -, acontece algo: “E, tornando em si…” (Vs. 17). Isto quer dizer que ele aprendeu a lição. E digo: Não basta a vida nos ensinar; temos que aprender a lição!! E uma vez que aprendamos a lição, a vida, requererá de nós uma atitude!!

Novamente o que me chama a atenção no filho moço é a sua atitude. Muitos são homens/mulheres para deixar os caminhos retos, fazer besteira, etc. Mas, não são homens/mulheres para admitirem e arcar com as conseqüências! Ao contrário do filho pródigo. A mesma atitude que fez ele sair da casa do pai, fez ele voltar para os braços dele.

Apesar dos pesares, por fim, é admirável e comovente a atitude e o pensamento do rapaz. Todavia, mais admirável e mais comovente é a atitude e pensamento do Pai, o qual, quando vê o filho não esconde a aflição que passara e alegria de reencontrá-lo. Emocionante!

Talvez, para você, essa seja apenas uma bela Estória. Eu digo, porém, que não! Isto de fato acontece a todo o instante. Olhe ao seu redor, isto não só acontece a todo instante, como, muitos “ficaram” e permanecem como este filho pródigo em terras estrangeiras!

O pai é o Pai Celeste; e o filho é a humanidade; somos cada um de nós. E tal atitude que o filho pródigo tomou em relação ao seu pai e as conseqüências que ele viveu de sua atitude, é a que nós tomamos e sofremos, muitas vezes, em relação ao nosso Pai Celestial.

Muitos são semelhantes ao filho em sua primeira atitude, mas não em sua última. A verdade é que não foi o Pai que abandonou o filho; mas, sim, o filho ao Pai. E sempre é assim; o Pai nunca nos abandona, nós é que o fazemos.

Contudo, o Pai,  não deixou (e não deixa) de pensar e afligir-se um dia se quer por causa do filho. O Pai está só esperando uma atitude do filho em retornar para casa. Ele está de braços abertos.

Foi homem/mulher para sair; seja homem/mulher para voltar à presença do Pai. O Pai Celeste quer dizer o mesmo de ti, como o pai disse ao filho pródigo:

“Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido e foi achado…” (vs. 24).

About these ads
Esse post foi publicado em Artigos e marcado , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Volta! O Pai está de braços abertos!

  1. CLEBSON DA S ANDRADE disse:

    Que DEUS continue te abençoando em o nome de JESUS.

    Curtir

  2. veronica disse:

    Tive uma experiencia marcante ontem com este texto, e hoje o encontro nesta pagina.Só pode ser bençao de Deus. obrigada, que Deus continue lhe abençoando.

    Curtir

Participe deixando um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s