“Aquele que está de pé…”

23 10 2010

 Por Pr Alex Oliveira

Costumo, por vezes, declarar a seguinte frase: “Na vida aprendemos com os outros, não só, o que devemos fazer; mas, igualmente, o que NÃO devemos fazer”.

Este axioma, no que diz respeito à Bíblia, como se expressaria o dito popular, é: “Uma verdade verdadeira!

Dou graças a Deus, pela bíblia não ser omissa em relação aos erros e fraquezas de “todos” os homens de Deus. Primeiro, porque a palavra de Deus e o próprio Deus não pactuam com a hipocrisia. Ao contrário do que vemos nos homens e na nossa sociedade em geral, Deus não permitiria que listassem, em sua palavra, apenas as qualidades, acertos e exemplos bons, dos homens e mulheres de Deus, Ele estaria sendo parcial.


Se assim fora, Ele, de certa forma, estaria contribuindo para que as pessoas mostrassem aquilo que elas não são, ou pelo menos, não são de todo. Em outras palavras, Deus, estaria contribuindo para a promoção de um comportamento hipócrita. Visto, porém, que não; eu tenho que agradecer a Deus por ser sincero comigo, me mostrando que, doa em quem doer, a transparência precisa ser cultivada e a verdade precisa ser dita.

A segunda razão porque dou Graças a Deus pela não omissão é pelo fato de podermos (e termos o dever) aprender com as qualidades, virtudes e bons exemplos; e, igualmente, aprendermos com os maus exemplos, defeitos desses grandes homens de Deus.

Paulo declara que: “Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram” (1 Coríntios 10.6). Embora este versículo fale a respeito de Israel quando do episódio do êxodo; podemos, contudo, presumir que ele sirva, também, para todos os exemplos, especialmente, os ruins!

Creio eu, que a Bíblia nos mostra os erros, pecados e fraquezas dos homens, não para que justifiquemos os nossos, como diriam alguns: “Se Abraão, Davi, Elias e outros erraram, eu também posso errar”. Eu classificaria essa afirmativa como “meia verdade” ou uma “verdade incompleta”, pois, errar até podemos, mas, “não devemos”.

Ao contrário disto, mostrando-nos o (ruim) proceder desses homens, a bíblia, deixa-nos o exemplo para que vejamos e creiamos na possibilidade de sermos como eles em suas virtudes e não nos defeitos e fraquezas.    

Em vista disto, incentivo-lhe a conhecer dois exemplos antagônicos. Um ilustre conhecido nosso e um ilustre desconhecido, se não fosse o caso, que uniu os dois: Davi e Urias. 

Vamos relembrar “um dos” piores erros do grande Rei Davi. No post anterior (clique aqui para ler), falei de “um dos” maiores feitos e virtude de Davi. Mas, como todos os homens e mulheres de Deus, usados, intrépidos, ungidos, Davi teve seus erros, suas falhas, apesar das virtudes.

O pecado de Davi no caso “Urias” e Bate-seba não foi um simples pecado, teve várias implicações e ângulos. Ele pecou contra Urias, contra Deus, contra Bate-seba. Ele adulterou, traiu a fidelidade de Urias para com ele (Davi), traiu e decepcionou Deus, traiu a todos os que amam a verdade e a fidelidade. Uma baita de uma decepção!!

Você pode se perguntar: Como foi possível Davi fazer isto? E eu me faço a mesma pergunta! Vemos neste episódio o descontrole que um homem pode ter quando cede a tentação pelos olhos, quando atraído pela cobiça, consumando o pecado em ato. Esta, porém, é uma triste realidade que, até hoje, espreita relacionamentos e casamentos alheios; se não em atos consumados, pelo menos na mente de muitos homens e até mulheres. Que mau exemplo!!

Por outro lado, sim, dá gosto de ver; ainda que, confesso, não sou (mas estou tentando ser) como “URIAS”.

O caráter a ética e a fidelidade de Urias é um exemplo para todo homem, para todo cristão. Fidelidade esta, não só para com Bate-seba. Fidelidade para com Deus; com o próprio Davi. Fidelidade, enfim, para com os seus companheiros no front de batalha; Incentivo-lhe a ler 1 Crônicas 11/ 2 Samuel 11/ 2 Samuel 12.1-4.

No livro: “A batalha de todo homem” (recomendo a todo homem e as mulheres preparadas para um baque!), o autor relata: “A parábola que Natã contou para Davi, reflete como Urias tratava e estimava sua esposa”. Analisando cada detalhe da história da vida dos três (Davi, Urias e Bate-seba) fica infinitamente mais evidente que o pecado de Davi foi muito mais do que um pecado contra um homem, foi uma traição.

Há exemplos que, a semelhança do sangue de Abel, continuam falando, persuadindo, mesmo após tempos, mesmo após a morte. Eles continuam ainda hoje; este é o exemplo de URIAS. Cabe a nós, agora, ouvir seus ensinamentos e aceitar sua persuasão!!

Por fim, deixo um ditado que gosto muito e uma palavra de exortação para nossas vidas:

O verdadeiro sábio não precisa cair para aprender; ele aprende com a queda dos outros

Aquele que está em pé cuide para que não caia

About these ads

Ações

Informação

Uma resposta

16 11 2010
carlos chico

gostei muito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 106 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: